domingo, 23 de fevereiro de 2014

"PERDI ONDE"

 "PERDI ONDE"

Perdi o silencio
A voz, a felicidade
Se alguém as encontrou por favor
Queira devolvê-las o quanto antes
Preciso delas para viver
Para respirar, para sentir
Para amar, para reencontrar-me
Com passado e presente
Não sei viver sem elas
O silêncio, a voz e felicidade são sagradas
Imprescindível nos caminhos de cada dia
Estou triste de pura saudade e nostalgia
Do silencio, da voz
Da felicidade que me roubaram
De tempo e tudo que eu perdi.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca


domingo, 16 de fevereiro de 2014

"DESEJOS RADIANTES"

 "DESEJOS RADIANTES"

Os dias eram mais radiantes
Feitos de jardins floridos
Flores belas e perfumadas
As noites tinham mais esperança
A lua brilhava no seu silêncio
Os desejos murmuram sem um significado
Longe no tempo, longe do lar
Longe do amor, longe da morte
Os dias foram feitos numa jornada
Desejos falsos
De um mundo vazio e frágil
Os jardins ficaram desertos
Secos, sem vida
Lamentando-se numa noite vazia
Sem luz, sem paixão
Onde o sonhador ficou em cinzas para a vida.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca


quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

SENHOR

 SENHOR

Senhor......Tu sabes que não valho nada
Não sou digna do teu amor
Que sou lama, de onde todos fogem
Ou têm medo de sujarem-se.
Só Tu sabes as minhas misérias
As minhas faltas, as minhas dores
Aumenta a minha fé, nos dias de chuva
A esperança nos dias de sol.."obrigado "

Isabel Morais Ribeiro Fonseca

domingo, 9 de fevereiro de 2014

"MALDITO, MALDITA"

 "MALDITO, MALDITA"
 
Maldito sonho
Que se transformou em dor
Maldito quadro que ficou vazio
Malditas as marcas que ficaram na poeira
Maldito fantasma fugiu cheio de medo
Malditas lágrimas que escorrem para o mar
Maldito amor perdido e talvez esquecido
Malditas grades que me prendem sozinho
Maldito corpo feito de vaidade e desejo
Maldita sede e fome do abismo
Maldito inferno que me cobiça a alma
Maldita a vida, maldita a morte, maldita, maldita.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca


quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014

"SEJAM FELIZES"

 "SEJAM FELIZES"

Pensamentos da minha alma
Transparentes sinceros
Retalhos de velhos trapos.
Onde muitas vezes sinto-me
Nua e despida de mim mesmo.
Que atire a primeira pedra
Quem nunca se despiu de si mesma
Não julgue para não ser julgado.
Não critique, para não ser criticado.
Só Deus sabe a vida de cada um de nós.
Não tenha pressa para saber do vizinho.
Olhe para si, para a sua vida.
Se tiver que sofrer, sofra sem medo.
Ame e seja amado, se cair levante-se
Pensamentos transparentes feito de velhos trapos.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca

terça-feira, 4 de fevereiro de 2014

CHUVA DE OUTONO

CHUVA  DE OUTONO

Chuva de inverno
De outono
De verão
De primavera
De amor
De saudade
De dor
De flores
De todas as cores
De espadas
Punhais afiados
De hipócritas
Ignorantes incultos.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca