sábado, 27 de setembro de 2014

ESCREVO ....ESCREVO


ESCREVO...ESCREVO

O nosso silêncio amor, dorme
Nos livros já lidos no cesto do nosso quarto
Tantas vezes escrevo sem pensar
Tudo o que a minha alma dita
Tudo o que o meu corpo sente
Tudo o que o meu inconsciente grita.
Porque tornou-se impossível não escrever
Gosto tanto e faz-me faltar.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca

sexta-feira, 19 de setembro de 2014

AMO-TE


AMO-TE

Amo-te nos poemas que escrevo
Nas horas
Nos minutos que não te vejo
E quando tu não estás ao meu lado
Nas palavras que não consigo dizer-te
Nem escrever
Dos silêncios da nossa madrugada
Noites de insônia quando estou acordada
Amo-te meu amor
E escrevo-te nos meus poemas
Mais sentidos!
 
Isabel Morais Ribeiro Fonseca

sexta-feira, 12 de setembro de 2014

"ESCREVO TODOS"

 "ESCREVO TODOS"

Escrevo todos os meus sentimentos
Procuro nas palavras o que sinto
O chão foge a cada minuto dos pés
Palavras escritas mal ditas da voz
Renasce um silêncio rasgado de dor
Cresce um vazio que em mim é vazio.
Escrevo todas as magoas e tristezas
Aninho-me em ti, sentindo o teu calor
Esperança guardada levada pelo vento
A parede que morre da árvore a morrer.
Incômodo desnecessário feito de lágrimas
Céu morto nascido parido no nosso inverno!

Isabel Morais Ribeiro Fonseca